Filmes franceses

Cinema
SEG 19/03 a SEX-23/03 – Agrupamento de Escolas de Arouca
Ao longo da semana, serão projetados vários filmes franceses, previamente divulgados

La Famille Bélier, de Eric Lartigau, 2014 – França, Bélgica
Paula (Louane Emera) é uma adolescente francesa que enfrenta todas as questões comuns de sua idade: o primeiro amor, os problemas na escola, as brigas com os pais… Mas a sua família tem algo diferente: seu pai (François Damiens), sua mãe (Karin Viard) e o irmão são surdos e mudos. É Paula quem administra a fazenda familiar, e que traduz a língua de sinais nas conversas com os vizinhos. Um dia, ela descobre ter o talento para o canto, podendo integrar uma escola prestigiosa em Paris. Mas como abandonar os pais e o irmão?

À Bras Ouverts, de Philippe de Chauveron, 2017 – França, Bélgica
Jean-Étienne Fougerole é um intelectual boémio que acaba de lançar o livro De Braços Abertos onde apela aos mais ricos para que ajudem famílias necessitadas. Durante um debate televisivo, um adversário critica-o por não praticar o que defende na sua obra. Jean-Étienne aceita o desafio por medo de cair no descrédito. Nessa mesma noite, uma família cigana toca à campainha da sua mansão em Marnes-la-Coquette e o escritor sente-se obrigado a alojá-los.

Demain tout commence, de Hugo Gélin, 2016 – França, Inglaterra
Samuel (Omar Sy) nunca foi de ter muitas responsabilidades. Levando uma vida tranquila ao lado das pessoas que ama no litoral sul da França, ele vê tudo a mudar com a chegada inesperada de uma bebé de poucos meses chamada Glória, sua filha. Incapaz de cuidar da criança, ele corre para Londres com o objectivo de encontrar a mãe biológica, mas, sem sucesso, decide criá-la sozinho. Oito anos depois, quando Samuel e Glória se tornam inseparáveis, a mãe volta para recuperar a menina.

Samba, de Eric Toledano, Olivier Nakache, 2014 – França
Samba Cissé (Omar Sy) é um imigrante senegalês que sonha fazer carreira como “chef” de cozinha. Contudo, apesar de viver em Paris há mais de dez anos, nunca conseguiu a autorização de residência de que tanto precisa para atingir os seus objetivos. Durante este tempo, foi sobrevivendo com pequenos trabalhos mal remunerados.
Alice (Charlotte Gainsbourg), por sua vez, é uma executiva experiente que sofreu um “burnout” devido ao ritmo excessivo de trabalho que a levou a um colapso. Enquanto ele está disposto a fazer o que for preciso para obter uma autorização para trabalhar, ela tenta deixar para trás a sua vida antiga, trabalhando como voluntária numa ONG. Ambos lutam para sair do impasse que são as suas vidas, até que chega o momento em que o destino os reúne.

Qu’est-ce qu´on a fait au Bon Dieu ? de Philippe Chauveron, 2014 – França
O casal Verneuil tem quatro filhas. Católicos, conservadores e um pouco preconceituosos, eles não ficaram muito felizes quando três de suas filhas se casaram com homens de diferentes nacionalidades e religiões. Quando a quarta anuncia o seu casamento com um católico, o casal fica nas nuvens e toda a família vai se reunir. Mas logo eles vão descobrir que nem tudo é do jeito que eles querem.

Bienvenue chez les Ch’tis, de Dany Boon, 2008 – França
Para fazer a vontade à sua mulher Julie que se encontra bastante deprimida, o administrador dos correios Philippe Abrams (Kad Merad) faz tudo para conseguir transferência para o soalheiro Sul de França. Como Philippe é apanhado a fazer vigarices para conseguir o novo lugar, o castigo não podia ter sido pior: terá de trabalhar durante três anos, na estação dos correios de Nord- Pas-de-Calais, uma das regiões mais industriais e frias do país. Mas Philippe acaba por surpreender-se e descobre um local acolhedor, com muitas pessoas simpáticas.